A história da inclusão da mulher na Polícia Militar


67 anos de história; hoje elas exercem um papel fundamental dentro da Polícia Militar.
O estado de São Paulo foi pioneiro na inclusão do sexo feminino na PM a partir da criação do Corpo de Policiamento Especial Feminino na década de 50. No entanto, foi somente a partir da década de 1970 que as diversas Polícias Militares no país realmente se abriram ao ingresso de mulheres.
Com o surgimento da Polícia Militar a partir da fusão entre Guarda Civil e Força Pública, foi criado o Quadro Especial de Polícia Feminina- as mulheres policiais foram alocadas no 33º Batalhão de Polícia Feminina, subordinado ao Comando de Policiamento da Capital. Também nessa época foi criada a primeira vaga de coronel feminino na Polícia Militar.
Em 1977 ocorreu o primeiro destacamento de polícia feminina no interior, sediado em Campinas e a Expansão da Polícia Feminina alcança seu ápice nas décadas seguintes, com a multiplicação de batalhões femininos na Capital e no interior, além da criação de vagas para a Academia de Polícia Militar do Barro Branco, cuja primeira turma se formou em 1992.
No dia 1º de fevereiro de 2001, o governador Geraldo Alckmin, criou, no âmbito institucional, o dia do Policial Militar Feminino a ser celebrado no dia 12 de maio, com o intuito de não se perder um fato significativo na história do Brasil.
Nestes 67 anos de existência, as missões das policiais femininas foram ampliadas e passaram a atuar, além do policiamento ostensivo, em outras atividades como: trânsito, bombeiro, choque, policiamento rodoviário, ambiental, policiamento com apoio de motocicletas ou bicicletas, radio-patrulhamento, policiamento escolar, corregedoria e assessoria policial militar inclusive a da Assembleia Legislativa.
Nos últimos 35 anos, o sexo feminino aumentou sua participação na PM, passando a representar quase 15%do efetivo nacional. Algumas dessas mulheres ocupam hoje cargos de alto escalão e, após muita luta por reconhecimento, passaram a ser vistas e tratadas como iguais dentro da corporação.
Essas são mulheres policiais, mães, filhas, esposas e trabalhadoras que servem com bravura e coragem à nação, ao longo de 67 anos de história, conquistas e realizações. Cada qual escrevendo e participando efetivamente dessa trajetória, com plena consciência de que há muito a ser feito ainda, com amor, dedicação e acima de tudo, nunca deixando de ser MULHER.